sexta-feira, 8 de abril de 2011

História do mês

Bartolomeu cria galinhas desde que é bem pequeno, galinhas brancas e iguais. Tão iguais que nem nome elas tem.

Bartolomeu também cuida do jardim e mantém o galinheiro sempre limpo e novinho.

Um dia, ele escolheu a sua cor favorita para pintar o galinheiro.

Enquanto pintava, aconteceu um acidente. Ao entrar no galinheiro. tropeçou numa galinha, que bateu no poleiro, que caiu sobre o ninho, que bateu no balde, que fez escorrer toda a tinta sobre os ovos que estavam por perto.
Mamãe galinha levou um susto, mas seguiu chocando seus ovos. O tempo passou. De tão quentinho, o ovo rachou. O pinto nasceu. Azul. Um pintinho azul. Bem azulzinho.
Bartolomeu gostou tanto que usou várias cores para pintar o galinheiro e nas horas livres pintava também os ovos. Fazia estrelas, corações e bolinhas de várias cores.

Ao nascer, os pintinhos tinham as cores dos seus ovos. Ao ver as galinhas assim, coloridas, Bartolomeu passou a chamá-las com nome de flor.


Margarida era amarela e branca.

Hortênsia era lilás.

Rosa era amarela, vermelha e rosa mesmo.

As onze-horas, multicoloridas.

Dália tinha vários tons de laranja.

Cada uma com seu nome. Cada uma com sua cor.


Quem via de longe pensava que o galinheiro era um imenso jardim. Que as oenas eram pétalas.

Batolomeu vivia feliz no seu jardim de galinhas.

Estava anunciado um temporal. Bartolomeu fechou as janelas alaranjadas. Passou as trancas verdes. Prendeu as frestas roxas e fechou as portas vermelhas.

O vento começou lento e foi crescendo. Aproximando-se do galinheiro. E chegou tão perto que sacudiu tudo, e sacudiu tanto que rompeu trancas, abriu portas e janelas.

Bartolomeu segurou na árvore mais forte. Porque vento não leva raiz assim tão fácil. Segurou com as duas mãos, mas seus pés saíram do chão.

O telhado lilás foi levado e aos poucos o céu foi tingido de todas as cores.

As galinhas subiram e formaram um arco-íris. Um arco-íris em movimento. Rodando céu afora.

O vento passou. Foi sacudir outros ares. Bartolomeu segue pintando ovos e tudo que vê.

Segue esperando mais um vento de colorir.



Autora: Christina Dias

Ilustradora: Elma

Editora: Best Book

Nenhum comentário:

Postar um comentário