terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

DESPEDIDA

DESPEDIDA

Ferreira Gullar

Eu deixarei o mundo com fúria.
Não importa o que aparentemente aconteça,
se docemente me retiro.

De fato
nesse momento
estarão de mim se arrebentando
                        raízes tão fundas
quanto estes céus brasileiros.

Num alarido de gente e ventania
olhos que amei
rostos amigos tardes e verões vividos
estarão gritando aos meus ouvidos
          para que eu fique
          para que eu fique.

Não chorarei.
Não há soluço maior que despedir-se da vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário